sábado, 22 de abril de 2017

BOA LEITURA - “O Espírito das revoluções” (José Osvaldo de Meira Penna)

José Osvaldo de Meira Penna, pensador ainda vivo (tem 98 anos), tem seu pensamento no campo da Sociologia, mas aprofunda-se na análise filosófica, ao redor da temática da liberdade. Paralelamente, o pensador, que possui sólida formação humanística, abarca nessa obra as suas análises sobre  as perspectivas psicológico-social (à luz da obra de Carl Jung, da qual é importante representante) e econômica, se alicerçando nos conceitos de Friedrich August von Hayek (1899-1992), Ludwig von Mises (1881-1973) e Milton Friedman (1912-2006). O Liberalismo, segundo Meira Penna, experimentou crises profundas. A partir dos meados do século XIX vigorou, segundo ele, um “movimento de opinião no sentido de um retorno ao coletivismo, invocado nos lemas de Igualdade e Fraternidade”. O pensador considera que, diante dessa crise, é necessário voltar à defesa da liberdade do indivíduo em face da coletividade, seguindo os ensinamentos do historiador francês Alexis de Tocqueville, de cujo pensamento Meira Penna é um dos grandes estudiosos no Brasil. A respeito da influência do autor de “Democracia na América”, ele diz em um dos trechos do livro:
“(…) Concluímos que extremamente pertinentes são os conceitos tocquevillianos. Se somos todos diferentes e desiguais por natureza, uns mais inteligentes do que outros, uns com melhor Q I do que outros, uns mais laboriosos e outros mais preguiçosos, uns enérgicos e outros boêmios, uns aquinhoados com saúde e uma herança familiar positiva, outros prejudicados desde o nascimento pela circunstância de um meio adverso, é evidente que a igualdade só pode ser imposta pelo Estado, coercitivamente.”

0 comentários: