quinta-feira, 20 de abril de 2017

BOA LEITURA - “Carnavais, malandros e heróis” (Roberto DaMatta)

Professor emérito da Universidade Notre Dame, nos Estados Unidos, antropólogo e colunista do jornal O Globo. O pensador nascido em Niterói-RJ tem um perfil liberal afinado com o ideal tocquevilliano de defesa da democracia, com ênfase na salvaguarda da liberdade individual e na visão pluralista de cultura. DaMatta busca retornar ao viés da crítica republicana liberal às instituições brasileiras, que já tinha sido efetivado, no século XIX. E no livro, DaMatta relaciona as festividades de Carnaval com as origens do patrimonialismo brasileiro, descrevendo práticas como o famoso “jeitinho brasileiro”, relacionando-as às bases do nosso Estado, que segundo o autor são anti-liberdade e conspiram contra o bem comum. Em um dos trechos do livro, DaMatta diz:
“No Brasil, parece que deixamos as instituições totais para áreas mínimas do sistema social. É como se houvesse um preconceito contra os grupos preocupados em definir suas fronteiras externas e internas por meio de uma ética forte. Tais grupos, como a Igreja e as Forças Armadas, são, tudo parece indicar, os únicos que – no Brasil – atuam em escala nacional como verdadeiras instituições totais.” 

0 comentários: