terça-feira, 28 de julho de 2015

Livro escrito no linguajar cuiabano tem homenagem a poetas mato-grossenses

Um livro dedicado ao linguajar cuiabano, e escrito nele, é a quinta produção do professor de Comunicação Social da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) Aclyse de Mattos, e o último publicado. Organizado como um disco, com lado A e lado B, o livro tem um lado musical e outro poético.
“Festa”, publicado pela Editora Carlini e Caniato, foi baseado nos estudos e memórias do professor nos últimos trinta anos: “Das festas, das noites, da vida cuiabana e do Estado. Têm poemas de quando fui ao rio Araguaia, Poconé, em reserva indígena, e muita letra de música. Dos meus livros, esse é o mais sonoro”, revela.
Dentre seus poemas, há alguns dedicados a Silva Freire, alguns ‘conceituais’ que falam sobre a época em que Lévi-Strauss passou por Cuiabá, e poemas em homenagem aos poetas Antônio Sodré - natural de Jucimeira [MT], mas que vivia em Cuiabá e mantinha um sebo no Instituto de Linguagens da UFMT, até falecer [em 2011] – e Ivens Cuiabano Scaff - médico cuiabano, que também desenvolveu vários trabalhos na cultura e poesia.
O poema mais antigo data de 9 de julho de 1980, dia da morte de Vinícius de Moraes. Na época, Aclyse estudava no Rio de Janeiro: “Festa é um livro que não tem tempo. É o tempo do escritor e do leitor”, afirma o poeta.
Além de Festa, Aclyse já lançou Um olhar sobre a cidade [2002]; Quem muito olha a lua fica louco - poemas [2000]; O sexofonista [1986]; e Assalto a mão amada[1985].
- Olhar Conceito -

0 comentários: