quarta-feira, 10 de junho de 2015

Cotas para negros no Judiciário

A política racista de dar cotas de acordo com a quantidade de melanina na pele agora também fará parte dos concursos.
Será que haverá uma escala Pantone de cores para definir quem é negro / pardo ou não? Ou que tal um tribunal racial nazista, como algumas universidades já possuem?
A menor minoria é o indivíduo, independente de sua cor, preferência sexual, gênero ou qualquer outro fator de segmentação da raça humana.
Que tal cotas para presos condenados por crime hediondo, para quem tem dislalia, para quem tem disfunção erétil, para calvos e para idiota útil?
 
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
 
CNJ aprova cota de 20% para negros em concursos para o Judiciário
O Conselho Nacional de Justiça (CNJ), órgão que administra o Judiciário, aprovou nesta terça-feira (9) uma resolução que obriga os tribunais do país a reservar no mínimo 20% das vagas nos concursos para servidores e juízes para negros.
A regra valerá para seleção de servidores para o próprio CNJ, o Superior Tribunal de Justiça (STJ), os cinco Tribunais Regionais Federais (TRFs) existentes no país, além dos tribunais do Trabalho, Eleitorais, Militares e também Tribunais Estaduais e do Distrito Federal.
No caso de juízes, a cota de 20% valerá para concursos para juízes federais (que atuam nos TRFs), juízes do trabalho (que atuam nas varas trabalhistas), juízes militares e juízes de primeira instância da Justiça estadual.
O Supremo Tribunal Federal ficou fora da resolução porque não é submetido ao CNJ, mas já conta com cota de 20% em seus concursos para servidores. Os tribunais superiores, como o próprio STF, o STJ, o TST e o TSE, não terão cota para ministros porque suas vagas são preenchidas por indicação por parte da Presidência da República, não por concurso. [...]
- G1 -

0 comentários: