quinta-feira, 27 de novembro de 2014

XII Parada da Diversidade Sexual de Mato Grosso, sexta - deve reunir 8 mil pessoas

Cerca de oito mil pessoas são esperadas para reforçar o colorido das ruas durante a 12º edição da Parada da Diversidade Sexual, que acontece amanhã em Cuiabá. Apesar do clima festivo, a passeata de cunho político busca reforçar a luta pelos direitos civis da comunidade LGBT.
Como nas edições anteriores, a concentração será na Praça Ipiranga, na Prainha, a partir das 14 horas. Em seguida, a multidão segue em passeata pela avenida até o topo da Getúlio Vargas. O desfecho ainda está sendo decidido, podendo ser na praça Santos Dumont ou na 8 de Abril (em frente ao Choppão).
Segundo um dos organizadores da parada, Clóvis Arantes, neste ano, o tema é: “Direitos Civis: Não queremos nada demais”. Segundo Arantes, o momento vai reforçar que a luta LGBT visa garantir tudo que é previsto na constituição.
Para ele, a sociedade está entendendo melhor a luta, bem como a importância da garantia dos direitos. Porém, isso não significa diminuição na discriminação e violência. “A parada é para isso também, informar, conscientizar que os direitos iguais precisam ser assegurados”.
A homofobia, segundo Clóvis, ainda é um fator que coloca as pessoas em condições de vulnerabilidade, seja dentro de caso e até mesmo no trabalho.
Cuiabá chegou a ser considerada a capital mais homofóbica do país, após ser divulgado o estudo do Grupo Gay da Bahia (GGB), que apontou uma média de 17,6 homicídios de um membro da comunidade LGBT, para quase 570 mil habitantes no ano de 2013.
A parada do ano passado foi marcada agressão de Lilith Prado, presidente da Associação das Travestis de Mato Grosso (Astramitis). Ela foi assaltada e espancada com uma barra de ferro na manhã do evento.
Na última terça-feira (25), o prefeito Mauro Mendes, declarou apoio ao movimento, durante uma reunião com os organizadores. Na oportunidade, foi discutida a execução de políticas públicas voltadas à diversidade sexual, que serão trabalhadas pelo recém-criado Conselho Municipal de Atenção à Diversidade Sexual em Cuiabá. 
- Yuri Ramires, Diário de Cuiabá -

0 comentários: