sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Sexta tem Armazém Universitário na UFMT

A interação entre acadêmicos e moradores do entorno da UFMT (Universidade Federal de Mato Grosso) será intensificada a partir de hoje, com o início de mais uma edição do Armazém Universitário, às 18h. No cardápio, manifestações artísticas ameríndias. 
Entre as várias etnias que por lá irão circular, há os chiquitanos, presentes com sua dança da seriema, com música cantada em sua língua e o destaque principal — o grupo Niósch Haukiná (Sementes Nativas), internacionalmente conhecido por conta de seus violinistas. 
As duas primeiras apresentações ficam a cargo dos chiquitanos nativos da terra indígena Portal do Encantado, enquanto a música executada ao vivo leva a assinatura dos nascidos na terra indígena Vila Nova Barbecho. 
As ações desta nova versão do Armazém Universitário são desenvolvidas pela Gerência de Projetos Culturais — da Pró-Reitoria de Cultura, Extensão e Vivência (Procev) —, em parceria com o Programa de Inclusão Indígena “Guerreiros da Caneta”, da Proind, da UFMT. 
“O evento tem a intenção de apresentar e valorizar a presença das diversas etnias indígenas presentes tanto na universidade como também na sociedade brasileira”, destaca a responsável pela GPC, Maria Helena Coradini. 
Além das apresentações indígenas, o evento vai contar ainda com a comercialização de arte indígena, bazar de livros de autores indígenas, CDs e DVDs produzidos pelos realizadores nativos, pintura corporal, culinária tradicional, uma exposição fotográfica e também a presença do músico indígena Luciano Pareci tocando sertanejo. 
A venda dos produtos tem a intenção de fortalecer a sustentabilidade e fomentar a cadeia criativa e econômica entre os povos que estarão expondo seus produtos. 
Para mesclar as culturas além das atrações de várias etnias indígenas teremos também a participação da banda Moden tocando pop rock e da musicista Mariana Borealis tocando MPB, além da venda de bebidas, crepes, estrogonofe, torta de frango, pudim, comida portuguesa, pães caseiros e integrais, entre vários outros. 
SARAU 
Tudo começou informalmente ontem, quinta-feira, com a realização do Sarau das Mulheres Indígenas. No bastante adequado local para isso, o bosque da UFMT, aconteceu o tema “A palavra da mulher indígena é sagrada”. 
Estiveram presentes mulheres dos povos bakairi, karajá, terena, bororo, entre outros, além de não indígenas que utilizaram cantos, danças circulares e a literatura para promover harmonia, trocas e a integração entre os participantes. 
- Diário de Cuiabá -

SERVIÇO
O QUE: Armazém Universitário, com várias atrações.
ONDE: Bosque da UFMT, próximo ao MACP.
QUANDO: Hoje, a partir das 18h.
QUANTO: Acesso livre (comidas e produtos vendidos, obviamente) aos shows artísticos e à festa.

0 comentários: