quarta-feira, 11 de junho de 2014

Mostra fica aberta durante toda a Copa

O Museu de Arte e de Cultura Popular (MACP) da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) celebra 40 anos em 2014. E uma das principais atrações da programação comemorativa será a mostra coletiva “Percurso”, que começa hoje e contará com obras de 35 artistas plásticos mato-grossenses e de diversos pontos do país.
A mostra estará aberta durante a tarde (13h30 às 17h30), no período dos jogos da Copa do Mundo em Cuiabá, inclusive aos sábados e domingos -- exceto no feriado de Corpus Christi no dia 19. Artistas de diversas abordagens das artes plásticas escolheram Cuiabá por adoção e lócus de expressão artística.
“Aqui estão reunidas obras com diversas técnicas e suportes. A partir do local, com a subjetividade e a criatividade de cada artista, se tece uma linguagem universal, seja com tintas, madeira e metal. Aqui, o primitivo e contemporâneo convivem harmonicamente”, comenta a curadora da mostra e crítica de arte Aline Figueiredo.
“Ao longo desta trajetória, muitos artistas que se tornaram referência no circuito artístico nacional e internacional começaram suas trajetórias pelo museu. Esse percurso, a busca criativa do artista, é o norte desta mostra”.
O pró-reitor Fabrício Carvalho (Procev) destacou que o Museu integra um complexo, localizado no Centro Cultural. “Além de fomentar a produção artística, ele confere acessibilidade a todos que querem desfrutar de boas opções culturais, como o Ateliê Livre, o Coral UFMT e o Cineclube Coxiponés”, observa.
ARTISTAS
Luís Segadas, um dos artistas convidados, relata que ficou “feliz e satisfeito” por ser convidado para a exposição. “É uma oportunidade de interagir com outros artistas que são referência no estado. Além da excelência técnica, evidenciam a diversidade de expressões”. Segadas reside em Cuiabá desde 2012 e é aluno do Programa de Pós-Graduação em Estudos de Cultura Contemporânea (ECCO).
O artista visual e arte-educador Marcelo Velasco tem suas obras expostas no MACP desde a década de 1980. “A mostra coroou um percurso de resultados e reconhecimento. A UFMT tem exercido um trabalho primoroso no amadurecimento da cultura mato-grossense. É com muita alegria e satisfação que recebi o convite de integrar a mostra. Ter obras minhas ao lado de artistas como Humberto Espíndola, um dos que incentivaram minha carreira, é muito gratificante para mim”, narra.
Herê de Azevedo Fonseca, por sua vez, trabalha com guache e acrílico sobre papel. Sua obra é marcada pelas influências e grafismos rupestres. Além de desenhista e objetista, Herê também realizou intervenções urbanas. Mineiro, reside em Cuiabá desde 2009. Seu trabalho na mostra consiste em uma coluna repleta de pinturas de cores vibrantes em papel A4.
- Diário de Cuiabá -

0 comentários: