sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Saldo Brasil - O que vem após o caos?

Sei que a verdade choca, mas esta é a razão pela qual os “camisas vermelhas” foram sendo substituídos. O narcoterrorismo faz sua parte com o PCC e outros grupos.
Quanto a divisão entre esquerda e direita, não faz sentido.
A verdade com o tempo aparece.
A realidade é que que a violência tem tido causas políticas, se não nas suas causas fundamentais, seguramente na sua consecução e nos seus resultados, na omissão de nossas autoridades ou a ligação de muitas delas com o crime organizado, sendo o Foro San Pablo o que mais se destaca.
A violência no Brasil tem causas, e somente idiotas aponta para a questão da miséria ou para a questão racial, como se tivéssemos raças no Brasil. A violência no Brasil tem duas componentes principais, a primeira de longe a principal, é a discriminação espacial, também chamada de segregação urbana, neste sentido vejo como fundamental a leitura de outras mensagens sobre a questão:
10. Das Kapital:  O Brasil é uma favella e assim incubamos a violência - Como surgiram as favellas.
19. Das Kapital:  Capitalismo de comparsas e socialismo de privilegiados é uma das causas da violência, em Brasília em espacial.
A segunda causa raiz é a educação, ou melhor a falta dela ou a falta de qualidade na educação fundamental.
Sabemos que temos, no Brasil, a imprensa convergindo para dois pontos, de um lado a PIG e de outro a imprensa chapa branca, mas isso é natural, pois o leitor no Brasil é potencial, está no imaginário, como não teve educação, também não lê. E os demais, os leitores de verdade, estes já possuem a cabeça feita, não é deste tipo de jornalismo que está no imaginário do Sr. Rodrigo Vinna. Os leitores sabem tirar suas próprias conclusões, sabemos que há algo de errado no ar. E sabem que um veículo de imprensa não é causa, quando aponta algo de errado. Apenas informa, com a imprensa chapa branca ou informa mal, ou mente, e isso se deve muito ao PTa que lidera o processo, ou ainda, o que é pior, fantasia.
A violência não nos deve indignar apenas quando a vemos através de  imagens que alcançam o mundo, com a qual escancaramos a nossa barbárie e que foi a Capa da Revista Veja de 12 de fevereiro de 2014.
Tivemos uma assustadora escalada da violência no Brasil, ela tirou a vida de mais de 205 mil brasileiros somente em 2013, vítimas de homicídios, suicídios, das drogas, acidentes de trânsito, acidentes de trabalho, etc.   E o número, sempre crescente, não nos deixa indignados, a menos de reduções de números isolados como o de homicídios no Estado de São Paulo ou no Paraná. Além da tragédia em si, elas retiram a possibilidade do serviço público de saúde cumprir seu papel, o que sabemos está longe de acontecer, pois se observa em destaque a má gestão e um sem número de casos de corrupção. Mas fica uma certeza, não fosse a violência ela estaria hoje muito melhor, praticamente dobraríamos o número de leitos hospitalares no Brasil.
Segundo a ONG (organização não governamental) Conselho Cidadão para a Segurança Pública e Justiça Penal, do México, 16 das 50 cidades mais violentas do mundo estão no Brasil. Tivemos nos últimos 30 anos mais de 1 milhão de homicídios  O custo da violência supera 5% de nosso PIB, isso segundo estudos desatualizados realizados pelo IPEA, especialistas já apontam para um número superior a 10%, principalmente quando se inclui a queda da receita com o turismo e novos investimentos.
O medo é hoje uma constante dos brasileiros, o custo do medo levou os brasileiros a realizarem um gasto com sistemas eletrônicos de segurança superior a US$ 2 bilhões, mais que R$ 4 bilhões em 2012. Isso segundo a Associação Brasileira das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança. Mas este valor é muito subestimado, deve ser acrescidos os custos de equipamentos adquiridos legalmente e ilegalmente no exterior.
O Brasil é hoje o país onde circulam o maior número de veículos blindados no mundo, isso de acordo com as informações divulgadas pela Associação Brasileira de Blindagens (Abrablin), isso mesmo, já existe até uma associação do setor. De acordo com especialistas em segurança, o total de veículos com esse tipo de proteção é tão grande que se tornou um indicador para aferir o grau de criminalidade nacional.
Mas não questionamos as causas, como a discriminação espacial ou segregação urbana, que tem a insegurança jurídica da propriedade como causa principal e a ela somamos os efeitos perversos das leis, como a do inquilinato que deu sua grande contribuição para o apagão imobiliário, assim como ocorre agora com a lei das domésticas que tornou proibitivo uma família ter um caseiro na sua casa de campo, na praia ou nas montanhas.
E o que é mais grave, não nos questionamos:
1)   De onde vem tanta droga para o Brasil?
2)   O que está sendo feito pelas Forças Armadas, pela Justiça e principalmente pelas nossas Relações Exteriores?
E no que se refere a titulação das propriedades no Brasil:
1)    Qual a situação atual?
2)    Porque a insegurança jurídica retira renda, riqueza e reduz o direito de propriedade no Brasil?

"Não se conhece nação que tenha prosperado na ausência de regras claras de garantias ao direito de propriedade, do estado de direito e da economia de mercado." (Prof. Ubiratan Iorio de Souza)
Gerhard Erich Boehme

0 comentários: