segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Direitos Autorais Fora dos Eixos

[Do Portal Transparência FdE]

O Fora do Eixo defende um modelo de direito autoral que permita que as obras possam ser divulgadas, distribuídas, recombinadas e dêem origem à novas, de maneira que o autor tenha seus direitos reconhecidos. Dentro dessa proposta, licenças Creative Commons (http://va.mu/UK9L), por exemplo, apontam para um caminho mais condizente com a realidade em que vivemos, onde o potencial de desenvolvimento do conhecimento, provem da lógica do compartilhamento.
O Fora do Eixo também entende que esse processo de atualização da lei dos direitos autorais tangencia uma questão muito maior: o livre acesso à informação. A garantia de acesso aponta para uma mudança profunda na sociedade, pois permite um certo nivelamento onde o poder aquisitivo não é mais item fundamental para usufrutuo do conhecimento. Daí comparações como os efeitos trazidos pelo advento da imprensa de Gutenberg nas sociedades modernas. A facilidade de copiar, mixar e redistribuir que a internet e as novas tecnologias permitiram, fez com que um grande número de pessoas tivesse acesso a um mundo de informação e possibilidades, com chance inédita de interferir e espalhar esse conhecimento único em toda história.
Os avanços trazidos pela conexão e fruição de conhecimentos, estudados empiricamente em redes tais como, o movimento do software livre, midialivrista, fora do eixo, entre outras, evidencia a esquizofrenia da manutenção de um modelo de direito autoral que criminaliza a cópia e compartilhamento de conteúdo. Casos como a proibição da fotocópia (xerox), ou fechamento de sites como o Wikileaks, demonstram um sério problema repressor de direito autoral. No caso do Wikileaks, por exemplo, o interesse de um pequeno grupo retirou do ar uma série de conteúdos, através de uma ação que em última instância não respeito os processos legais vigentes.
(... mais em Portal Transparência)
Comentários:
Marcos Azambuja
Não vejo porque o direito autoral tradicional não possa conviver com modelos abertos, como o Creative Commons. Se mesmo o CC traz dentro de si distintas formas de caracterização, a serem escolhidas pelo(s) autor(es) de acordo com cada situação ou tipo de obra, o mesmo vale para o direito tradicional: existem autores que podem decidir não divulgar suas obras de forma “livre”. E tudo bem. Não estarão atrapalhando os colegas.
Da mesma forma que as redes aceitam diversos niveis de capilaridade, o direito de autor também pode possuir variadas formas. Pois os autores são diferentes entre si. E mesmo porque é impossivel – e desnecessário, senão indesejável – eliminar completamente todos os intermediários.
E vale lembrar que a história não tem fluxo. Ela não é um rio, com direção única: ela é o mar.
Filipe Martins
A ideia é boa. “Compartilhar tudo com todos”.
Numa tribo indigena funciona bem (não estou zuando, se pudesse moraria em uma).
Agora um organização pseudo “coletiva” numa realidade capitalista e individual, é ridiculo. Dizer que é a favor de compartilhar tudo, que nada é de ninguém, não pagar ou valorizar os artistas, mamar no governo, ganhar dinheiro e viver com o trabalho dos outros é fácil!
“O importante é o processo e não o artista”?
Santa ignorância! Se não houvesse artista, compositor ou interprete, não haveria processo nenhum! Quem diz isso não é artista, não produz nada e ganha com a produção dos outros!
Não concordo realmente com as grandes cifras que artistas (jogadores de futebol, “celebridades”, e etc) ganham, que é bem diferente da realidade do povo (pra mim um artista, medico, ou lixeiro, devem receber a mesma coisa sim!), mas precisamos pagar nossas contas.
Também não me importaria com ninguém usando minha musica, se eu tivesse outra maneira honesta de pagar minhas contas.
Vocês não enxergam isso por que vivem com o dinheiro do governo (do povo) e do trabalho dos outros. O “coletivo”, o “compartilhar tudo”, só é bom é transparente, honesto, justo, quando funciona para todos! Alguns trabalhando e produzindo, e outros recebendo e mamando não dá!
ACORDA!!!!!!!!!!!

0 comentários: