quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Bombou no Facebook e você não viu

Black Bloc é uma tática de manifestação originária da Alemanha que surgiu na década de 80. O objetivo é protestar contra o capitalismo, globalização e altos preços do Toddynho e devido a isso é comum a destruição de fachadas de empresas multinacionais e instituições financeiras. No Brasil foram incorporados outros alvos aos ataques como placas de trânsito, bancas de jornal e lixeiras, pois estes são simbolos imperialismo norteamericano e representam a exploração sofrida por trabalhadores das grandes corporações.

São anarquistas, mas não durante todo o tempo. Deixam de lado os pensamentos e ideais que defendem enquanto vestidos de negro, no curto espaço de tempo que separa uma manifestação da outra, que pode durar dias ou semanas. Durante essas pequenas pausas, os Black Blocs aproveitam para fazer alguns de seus programas preferidos. Dar um rolê no shopping, atualizar o instagram com fotos tiradas no Burguer King e jogar Tetris no Ipad encabeçam a lista de atividades mais corriqueiramente realizadas.

Nas horas vagas, gostam de rebater críticas aos seus métodos agressivos no Facebook com argumentos sólidos e coerentes. Um exemplo deles é a frase de autoria do filósofo Aristóteles que diz: "Vândalo é o Estado". Às vezes optam por uma abordagem mais sutil e objetivando o estabelecimento de uma discussão enriquecedora, acusam o interlocutor que não compartilha das suas opiniões de reacionário, coxinha, babaca, pau-no-cu, idiota, manipulado, burro, retardado, boboca, feio, cara de mamão, estúpido, otário e fascista. Aliás "fascista" é uma palavra muito utilizada por grande parte dos Black Blocs, mesmo que estes ainda não tenham sido apresentados ao seu significado.

Detentores da verdade absoluta, rejeitam a ideia de que manifestações pacíficas compostas por centanas de milhares de pessoas clamando por ideal possam ser mais eficazes do que vinte pessoas tacando cocô na Globo. A imagem dos portões da emissora repleto estrume é o plano de fundo do computador de muitos. Tudo isso porque consideram a grande imprensa burguesa e golpista brasileira a maior responsável pela volta da inflação, fome na África, uso de armas químicas na Síria e Tsunami que matou mais de 200 mil na Ásia na década passada.

Recentemente foram proibidos de cobrir o rosto, o que provocou a fúria dos pimpolhos que agora temem serem flagrados faltando às aulas de bordado em que os pais os matricularam, o que os obrigaria a permanecer 20 minutos no cantinho da disciplina, fazendo com que percam o primeiro bloco de "Rebelde" no SBT.""

- Jéssica Dias, SP -

0 comentários: