quinta-feira, 23 de maio de 2013

Semana dos Calouros na UFMT: Festa Clandestina

Já tem um tempo que as manifestações políticas e culturais têm sido repreendidas. O convívio e integração social, voltado a questionar e indagar nos é tirado.
As festas dentro da universidade sejam elas de todos os estilos musicais, público e finalidade foram proibidas, sem explicações plausíveis. A necessidade da integração social e troca de relações é indispensável no contexto universitário. Além da formação de opinião social e também servida como distração, essas atividades funcionam ainda como um dos principais víeis culturais na UFMT.
Mas e o contexto político das festas e proibição por parte da reitoria ?
Essas atividades sempre serviram para arrecadação financeira dos cursos, centros acadêmicos e DCE. Dessa maneira, sendo livre politicamente e financeiramente para defender os direitos estudantis.
Logo após intenso periodo de mobilização estudantil, onde o ME foi repreendido, baleado e preso por reivindicar direito básico de sobrivência, garantido ainda constitucionalmente: a moradia.
Nos mostra claramente a necessidade de nos manter independentes. A administração superior, sempre terá posicionamentos que virão em frente aos nossos e o nosso papel é de lutar, divulgar e não permitir que tentem nos aprisionar.
Por um movimento estudantil livre e autônomo. Contra a proibição de festas!
https://www.facebook.com/dce.ufmtcuiaba
.....
E ainda complemento:
Contra a rubrica política das manifestações. Há quase uma década os movimentos estudantis foram secados por uma alimentação estratégica dos governos.
Os manifestantes adulterados existem, podes crer.

0 comentários: