sábado, 8 de dezembro de 2012

Piratas gastam mais com música. Cadê seu Deus agora, RIAA?

Eu não vou falar o quanto a RIAA, a toda-poderosa indústria do copyright de música, vive em um universo paralelo, por que o Cardoso já fez isso muito bem. Mas, em se tratando deles, a fonte de piadas prontas é inesgotável.
Uma pesquisa da Universidade de Colúmbia constatou que quem compartilha arquivos gasta 30% mais com música do que quem não.
A RIAA não gostou do resultado e resolveu colocar seu próprio time em campo, que chegou a conclusões deveras divertidas.
Ontem, Joshua Friedlander, vice presidente de pesquisa e análise de estratégias, deu uma declaração de que os piratas certamente não compra mais música por que eles baixam música.
Segundo ele, a explicação é simples: os piratas têm mais interesse em música do que o consumidor comum.
“Na verdade, a comparação é injusta, já que estamos comparando pessoas interessadas em música com aqueles que não tem interesse algum. Claro que quem tem interesse em música compra mais.”
Pausa para rir…
A menos que eu tenha perdido completamente minha capacidade de interpretação de texto, o cara disse que piratas NÃO gastam mais com música por serem piratas, mas sim por terem mais interesse em música.
Em bom português: quem não baixa música gasta menos do que quem baixa… mas não foi isso o que a pesquisa inicial constatou?
Mas a coisa não para de melhorar, a pesquisa encomendada pela RIAA constatou que piratas gastam 40% mais com música, contra os 30% da pesquisa anterior.
Como toda boa pesquisa precisa de tabelas, aqui vai a da RIAA, que deveria comprovar que pirataria faz o menino Jesus chorar.
A tabela só reforça a piada como um todo:
Piratas gastam praticamente a mesma soma (1 dólar a menos) com CDs, mas gastam mais em todos os outros itens, chegando a mais do que o dobro no quesito camisetas de bandas e afins (merchandise, em português).
Russ Crupnick, o coordenador da pesquisa, declara, mesmo depois de olhar para a tabela acima:
“Estamos dizendo que piratas aumentam o consumo de camisetas ou ingressos para shows? Claro que não, isso seria idiota”.
Caso encerrado.
- Meio Bit -


0 comentários: