sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Ivan Lins fala da saída da ministra Ana da Cultura

Queridos amigos,

Tenho que admitir que não gostei da forma como a Ana foi demitida, a carta que ela mandou era totalmente justa, ela estava amarrada, não podendo fazer o que seus sonhos desenhavam.
Ela é uma pessoa da cultura, a substituta, que não conheço pessoalmente, não é. Mas o que mais me deixa indignado foi a maneira como Ana foi demitida, usaram (e até hoje usam) a cultura como joguete político, como dizia o Millôr, eles tratam a cultura como supérfluo.
Quando artistas pediam a troca de ministro (onde eu me incluía), baseado em equivocos de gestão, havia um nome para substituí-la, o Sr.Danilo Miranda, um expert em política cultural, mas que descobriram que ele tinha leves ligações com o PSDB, portanto, inimigo do PT, depois a Ana, foi tentando melhorar seu desempenho, nos assuntos mais pertinentes a verdadeira cultura, e bateu de frente com as vexaminosas verbas para trabalhar. Escreveu uma carta maravilhosa reclamando da falta de verbas, coberta de razão. Até quando vão tratar a cultura brasileira deste jeito? É indignante!! Não é assim que se governa um país, ainda mais um país de 3º mundo, pois culturalmente continua de 3º mundo. Quando a cultura brasileira tiver um tratamento de 1º mundo é que podemos ver a luz no fim do túnel.
Cultura e educação tiram o povo dessa imensa ignorância, de que adianta ser só a 6ª nação industrial do planeta, se o povo, na sua maioria, é de uma ignorância imensa. A ignorancia é a mãe de todos os males, ela elege a mediocridade e é refem de toda argumentação sedutora (e esperta), e empurra a qualidade cultural cada vez mais para o ralo.
Estou de saco cheio desses governos, cultura virou moeda de barganha. Pra mim isso é desrespeito, vergonhoso, abriu-se um precedente perigoso. Não é assim que se faz as coisas, não tenho nada contra D.Marta, mas quero a Ana de volta.
Tenho dito,
Ivan Lins - http://www.facebook.com/ivanlinsoficial

1 comentários:

Osvaldo Tancredo disse...

Depois de tantos pedidos de melhorias no orçamento da pasta pela Ana, a Dilma libera para a nova empossada:
"Trata-se de aumento de 65 por cento em relação ao orçamento de 2012... Certamente todos os militantes e gestores da área cultural querem mais. Não tenho dúvidas que a cultura brasileira merece mais", disse Dilma em discurso.