sábado, 29 de setembro de 2012

A desigualdade gerada pelo sistema de cotas

Roberto Salles ironiza: ‘Vamos ter que importar índios’. UFRJ já se adequou à legislação

A regulamentação da Lei de Cotas, que reserva 50% das vagas para alunos de escolas públicas, baixa renda, negros, pardos e indígenas, não divide apenas o Ministério da Educação (MEC). Nas universidades federais do Rio de Janeiro, a aplicação da legislação não é consenso entre os reitores. Enquanto a UFRJ já se adequou aos critérios sociais e raciais para o próximo ano, o reitor da UFF, Roberto Salles, questiona com veemência a forma como a regra pode ser implantada. UFRRJ e Unirio ainda não têm posição definida.
- Leia mais em O Globo -

Não há polêmica nisso. As cotas raciais não têm fundamento jurídico. Elas são fruto de uma política equivocada, que não conhece nem a Ciência nem a História.

0 comentários: