segunda-feira, 9 de julho de 2012

Diga não aos softwares pesados

É hora de colocar seu PC em uma dieta. Você pode até pensar que os computadores modernos, com abundante espaço em seus discos rígidos e processadores supervelozes, podem rodar mesmo os softwares mais pesados sem sinal de lentidão. Qual o problema se o Microsoft Office Professional consome no mínimo 3 GB de espaço em disco e o Outloook, sozinho, consome 60 MB de RAM? Isso não pode afetar o sistema, certo?
Mas a realidade é surpreendente. Quanto maior o programa, mais RAM é necessária para executá-lo, e mais itens ele adiciona ao registro do sistema, e maior é seu impacto no desempenho geral da máquina. E conforme o número de aplicativos “grandes” (Bloatware, em inglês. Literalmente "software inchado") em seu PC aumenta, o impacto aumenta ainda mais.
Este efeito cumulativo explica porque você deve considerar substituir os programas mais “pesados” de sua máquina por alternativas menores e mais leves, mesmo que você não esteja tão interessado em obter o máximo de desempenho de seu PC. Quem troca um HD por uma unidade SSD, por exemplo, sacrifica espaço em disco por desempenho. E se você tem apenas 64 GB ou 128 GB para armazenar o sistema operacional, os programas e seus dados, tem ainda mais motivos para procurar os menores programas que puder encontrar.
Para ajudá-lo na tarefa, juntei seis dos programas populares mais “pesados” e apresento aqui as alternativas “light”. E sabe o melhor? Muitas delas são gratuitas.

O pesado: Adobe Reader
A alternativa: Sumatra PDF

O pesado: Microsoft Office Home and Student 2010
A alternativa: Kingsoft Office Suite Free 2012 ou Google Docs

O pesado: Microsoft Outlook
A alternativa: Mozilla Thunderbird

O pesado: iTunes
A alternativa: DoubleTwist

O pesado: programas de mensagens instantâneas
A alternativa: Imo Instant Messenger

O pesado: Windows
A alternativa: Zorin OS

Leia todos os detalhes de cada um na reportagem original de PCWorld

0 comentários: