domingo, 29 de julho de 2012

Com sistema 'antigo', smartphone da Nokia tem câmera superpotente de 41 megapixels

Sim, o título desta reportagem está correto: a Nokia apresentou um smartphone com câmera de 41 megapixels de resolução nesta segunda-feira (27), no primeiro dia do Mobile World Congress, feira de tecnologias móveis em Barcelona. Apesar das fotos com altíssima resolução, o aparelho traz o sistema operacional Symbian, com uma interface muito parecida com o Android, do Google.
Chamado de Nokia 808 PureView, o smartphone possui sensor de imagem de 41 megapixels e lentes Carl Zeiss com abertura de f/2.4 que conferem às fotos tiradas uma resolução de altíssima qualidade. É tão alta que não é possível nem dar zoom quando o smartphone está configurado nessa resolução máxima (o zoom só é possível quando a foto vai para o PC, com um software de edição de imagens).
A sacada do aparelho, no entanto, é usar a super-resolução da câmera convertendo a luz captada para resoluções menores – que, por isso, ficam com uma qualidade acima da média. O fabricante explica que, em resoluções padrões (3, 5 e 8 megapixels, por exemplo), uma nova tecnologia de processamento de pixels permite capturar 7 pixels e condensá-los em 1 pixel, criando assim uma imagem extremamente nítida. Veja, no final deste texto, álbum com imagens registradas pelo celular.
Se o usuário optasse sempre por fazer imagens em máxima resolução seria inviável armazenar essas fotos – os arquivos finais, diz uma representante da empresa, têm entre 300 kB e 1 MB depois de reduzidos. Em sua resolução máxima, as fotos têm 12 MB. É estranho, entretanto, que ao configurar o recurso na resolução máxima, o aparelho não mostre 41 megapixels, e sim 38 megapixels.
Uma das fotos tiradas com o PureView foi feita durante a semana passada, no sambódromo do Rio de Janeiro. A qualidade da imagem é tão alta que é possível imprimir as fotos em quadros grandes ou exibi-las em televisores de tela plana sem deixá-las pixeladas.
Mesmo com tanto avanço na qualidade das fotos, a Nokia fez questão de lançar o smartphone com a versão mais recente do Symbian, um dos sistemas operacionais mais antigos ainda em atividade (que já foi preterido pelo Windows Phone pela própria Nokia). Essa versão tem uma interface muito parecida com o Android, com telas de navegação vertical e, acesso a aplicativos, horizontal.
A tela Amoled de 4.3 polegadas ajuda – e muito – na ótima visualização das imagens de alta qualidade. No entanto, o touchscreen deixa a desejar: nos toques precisos, como seleção de ícones, funciona bem; já na rolagem dos menus, é preciso tocar a tela em um ponto com força e rolar os ícones. Em várias tentativas de rolagem, o smartphone acaba abrindo ícones, o que é um grande contratempo.
Para entusiastas da fotografia, o novo aparelho agrada bastante, mas de resto, é apenas mais um smartphone como tantos outros, sem outros recursos "matadores".
- Uol -

0 comentários: