quinta-feira, 24 de maio de 2018

Sexta, na Praça Santos Dumont, a partir das 17h

O projeto Piano Gente, lançado há pouco mais de 15 dias, nesta sexta-feira (25), chega à sua terceira edição. E traz inovações.
O circuito de concertos muda-se, nesta semana, para a Praça Santos Dumont, na região do bairro Goiabeiras. Com uma seleta musical que abriga o piano jazz, popular e rock é o que vai rolar. A programação tem início a partir das 17h.
No casting Igor Mariano, Danilo Bareiro, Dionísio Neto, Dario Scherner e Vidal Tenor. Conforme costuma-se dizer, essa equipe de músicos vai quebrar tudo para o público se divertir. 
Na programação, também, apresentações de dança e sapateado, em parceria com academias de dança da cidade. Isso porque no dia 25 também é comemorado dia do sapateado. A promessa é de um evento bem movimentado e especial.
Dario Scherner, produtor e diretor musical do evento convida  o público. “Piano Gente 3ª edição promete ter uma atmosfera bem especial. Além disso o público poderá refrescar com chopp, comidinhas típicas e principalmente muita música!”, garante ele. (*com assessoria)
Saiba mais sobre o projeto Piano Gente clicando em...
TYRANNUS MELANCHOLICUS

segunda-feira, 14 de maio de 2018

Músico de MT defende a arte como ferramenta de inclusão social

Com 20 anos de trajetória musical, o baixista Wellington Berê defende as manifestações artísticas como ferramenta de inclusão social para transformar a realidade das pessoas, principalmente os mais pobres.
Berê, que é pré-candidato a deputado estadual pelo PPS, destaca que é testemunha concreta de como a arte pode mudar a vida dos cidadãos. Ele que é de família humilde conseguiu vários objetivos pessoais por meio da música e hoje, garante, se sente um profissional realizado.
Berê insiste que a arte precisa alcançar a população como um todo. Precisa chegar nas crianças e nos jovens situados nos bairros e comunidades mais carentes do Estado. E a política – na leitura do músico – pode ser a ferramenta de expansão da arte para as pessoas.
Ele defende, por exemplo, que a música pode ser trabalhada em quatro eixos temáticos: educação musical (capacitações), mostras e festivais da canção, pesquisas e produções.
“Para que a gente possa ampliar o fluxo de produções e atividades nessas quatro áreas, é fundamental que haja recursos e projetos de leis”, destaca o músico.
Berê tem destaque no cenário musical cuiabano, ao lado de outros instrumentistas de relevância, como o guitarrista e produtor musical Danilo Bareiro. Em 20 anos de carreira completados em 2018, Berê já gravou seis álbuns, sendo três solos e três com as bandas que já formou, todos de músicas autorais.
- Lidiane Barros, O Livre -

segunda-feira, 30 de abril de 2018

Estela Ceregatti é VENCEDORA do Prêmio Profissionais da Música (Musica Pro Award) 2018!

ESTELA CEREGATTI venceu o PRÊMIO PROFISSIONAIS DA MÚSICA 2018 – MUSICA PRO AWARD na categoria “Artista Raiz Regional”. Primeira artista do Mato Grosso a ser premiada com a honraria, a cantora, compositora e instrumentista recebeu a homenagem no último dia 21 de abril. Estela é uma das musicistas selecionadas para o ETHNO BRAZIL.
“Sou de um eixo cultural incrível, de onde transborda muita arte com influências diversas, da cultura indígena local, da influência das músicas paraguaia, africana e portuguesa”, escreveu Estela na ficha de inscrição do ETHNO BRAZIL. A cantora acredita que o festival possibilitará uma fusão da música matogrossense com outras regiões do País e do mundo.
Graduada em música pela Universidade Federal do Mato Grosso, Estela tem um currículo extenso.  Lançou o disco solo “AR”, em 2017, e tem ainda dois discos com o grupo Monofoliar. Participou do circuito Sesc Amazônia das Artes, do Festival Nacional FEMUCIC (em Maringá/PR), do Festival de Música Sesc Leão do Norte, Mostra Sesc de Cultura do Cariri, apresentou a Orquestra Ciranda Mundo de MT e fez trilhas sonoras para cinema e teatro.
Em 2017, foi contemplada pelo Prêmio Grão de Música, sediado em São Paulo, no qual participou de uma coletânea junto a outros 15 artistas brasileiros de destaque na atualidade, representando o Estado de Mato Grosso.
Já dividiu o palco com Ivan Lins, Renato Braz, Simone Guimarães, Novelli (do Clube da Esquina), Alisson Menezes, Mauricio Detoni, Paulo Monarco, Téo Ruiz, Estrela Leminsky, Gabriel Levy, Sami Tarik e Eduardo Taufic, entre outros.
- EthnoBrazil -

segunda-feira, 23 de abril de 2018

Novo secretário de cultura quer artistas mais independentes e aproximação com a iniciativa privada

Chega de se escravizar em Coletivos e pedir benção à políticos.
********
Terceiro secretário de cultura do governo Pedro Taques, o físico e cantor Gilberto Nasser assumiu a pasta no último dia 10 de abril. Com uma enxurrada de problemas, museus fechados, dívidas com artistas aprovados pelo Circula MT, e somente nove meses para poder trabalhar, ele deu uma entrevista ao Olhar Conceito na última terça-feira (17), e se mostrou confiante.
Nasser é neto de Zulmira Canavarros, professor aposentado da antiga Escola Técnica de Mato Grosso e integrante do grupo vocal Alma de Gato. Ele conta que foi convidado pessoalmente pelo governador Pedro Taques e, mesmo sem se sentir preparado, aceitou o desafio.
Na entrevista, defendeu que os artistas devem ser mais independentes, e procurar o poder público apenas como fomentador, e não como financiador de seu trabalho, e afirmou que fará de tudo para aproximar a secretaria da iniciativa privada, o que ele afirmou ser uma solução para a crise econômica.
- ...
Leia mais em Olhar Direto -

quinta-feira, 29 de março de 2018

Domingo: Hip Hop Cuiabano comemora aniversário de Cuiabá adiantado

No dia 1º de abril, o Verdinho Verde vai realizar a sua 6ª edição no Ginásio Verdinho a partir das 16h20, com previsão de término às 21h. Com o nome Cuiabá 299 Maneiras, a nova edição celebra antecipadamente o aniversário do município. Cuiabang, Controvérsia e Pavio Curto são alguns dos nomes com presença marcada na nova edição. São esperadas homenagens por meio do rap e break para a cidade.
Haverá também uma batalha de MCs e o vencedor levará para a casa um beat produzido por Will Diamond, um dos maiores produtores nacionais.
Segundo Breno Dz6, em entrevista ao Circuito Mato Grosso, mais de 50 compositores já passaram pelo evento. Nomes como Árvore da Vida, Caio Matoso, Família THC e Free World já passaram por lá, e alguns deles, inclusive, são constantes nas edições.
Uma das principais características do Verdinho Vive é a união. O evento é totalmente independente e amigos de Breno Pina o ajudam voluntariamente com aquilo que é necessário para fazê-lo acontecer. “Quem organiza sou eu e alguns amigos, como Jean Bass, que cede o som. Tem a parceria também com o DJ Spinha, com o programa “Representa”, onde ele divulga. Tem parceria com o DJ Draw, quem também ajuda a fazer o evento. Marco Aurélio é quem cede a tenda”, conta o rapper.